Transcrição do Sermão do Dia das Mães

Continuação...

[1 - Um Relacionamento Muito Bom com o Marido]

Primeiramente, vamos considerar seu bom relacionamento com o marido. E eu posso dizer que este é o ponto de partida muito essencial para que você compreenda. O mais importante relacionamento em uma família que está educando filhos dedicados a Deus, não é o relacionamento entre os pais e os filhos, é o relacionamento entre a mãe e o pai. O que você comunica a seus filhos por seu relacionamento cônjuge domina o pensamento dos seus filhos. Eles estão aprendendo sobre relacionamentos humanos com vocês dois. Estão aprendendo sobre virtude, estão aprendendo sobre pecado. Estão aprendendo sobre amor. Estão aprendendo sobre perdão. Estão aprendendo sobre simpatia. Estão aprendendo sobre compreensão. Estão aprendendo sobre compaixão. Estão aprendendo sobre virtude. Estão aprendendo sobre honestidade e integridade. Estão prestando atenção e, a longo prazo, muito mais importante do que seu relacionamento com seu filho, é o relacionamento que você tem com seu cônjuge que é projetado para seu filho. E assim, bem no início, a Palavra do Deus é clara em nos falar sobre o relacionamento entre Ana e Elcana

Agora, antes de tudo, deixe-me dizer que este não era um relacionamento perfeito. Assim, senhoras, vocês entendam que vocês não são casadas com um homem perfeito. Isto é um fato. Eu quero que você compreenda o que as Escrituras dizem. Ana foi casada com um polígamo. Agora, eu não sei [com certeza] como isto se adaptaria a você como uma mulher, mas eu posso supor. E eu também posso lhe dizer que a situação não era melhor para Ana do que seria para você: ter uma rival em casa, ter uma outra esposa na sua casa. E, o pior de tudo: a rival estava produzindo filhos e filhas, e Ana não tinha nenhum, e assim ela era a esposa infrutífera e improdutiva, que não podia dar a seu marido aquilo que seu coração mais anelava dar

Ele não era um homem perfeito. O fato dele ser um polígamo indica sua imperfeição. Mas compreenda isto, esta era uma época primitiva e poligamia era parte da cultura humana, nunca um projeto de Deus, nunca. O projeto deixado por Deus é que UM homem e UMA mulher deixem seus pais, se juntam para toda a vida, e se tornam uma só carne... [Este é o projeto,] desde Gênesis até sempre. Mas na sociedade humana era normal a poligamia. E quando a verdade de Deus veio à sociedade humana, a poligamia era tão espalhada, que demorou a desenraizá-la. É como um missionário que vai hoje a um campo estrangeiro, prega o evangelho a uma civilização de pessoas e percebe que aquelas pessoas se voltaram para Cristo mas estão envolvidas com todos os tipos de relacionamentos polígamos no casamento, necessitando de uma ou mais gerações para serem normalizados. Era assim no mundo antigo

E, assim, Elcana criou para Ana uma situação muito difícil. Nós não sabemos os detalhes, mas pode ser que ele se casou com Penina por causa da esterilidade de Ana, a fim de produzir uma geração que pudesse,então, possuir sua herança. E, assim, isto tornaria a dor mais profunda porque Penina veio fazer nessa união o que Ana não poderia fazer. Não era um relacionamento perfeito, mas, mesmo assim, [tinha muito de] bom, [muito de] direito. Deixe-me mostrar-lhe porquê

Antes de tudo, eles compartilhavam em ADORAÇÃO [adoravam em total comunhão]. Agora este homem, Elcana, o versículo 3 diz, que ele ia de sua cidade, anualmente, adorar e sacrificar ao Senhor dos Exércitos, em Siló. Não significa que ele ia uma vez por ano, significa que a cada ano ele ia. De fato, ele ia pelo menos três vezes ao ano: na Festa das Cabanas, na Festa das Semanas, e na Festa dos Tabernáculos - estas festas tinham que ser comemoradas. Em Deuteronômio, capítulo 6, eu acho, e versículo..deixe-me ver, capítulo 16, eu creio, e versículo 16, explica a prescrição. Três vezes ao ano, sim era a Festa do Pão Asmo, a Festa das Semanas e a Festa das Cabanas. O homem tinha que ir ao lugar da adoração. Neste tempo particular, em 1 Samuel, o lugar da adoração era em Siló porque aquele era o lugar onde a arca da Aliança se achava antes que fosse transferida para Jerusalém. Então, pelo menos aquelas três vezes ao ano, todos os varões tinham que ir e fazer aquilo, que Elcana fazia. Ele era um homem de adoração. E ele ia e oferecia seu sacrifício ao Senhor

Nota-se, no versículo 3, que os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, e Eli sendo o sumo sacerdote, eram também sacerdotes do Senhor. Eles eram homens maus e eram o oposto de Elcana. Elcana era um homem dedicado a Deus e um verdadeiro adorador, e os filhos do sacerdote, os próprios filhos do sumo sacerdote, eram homens maus e ímpios, como veremos. Elcana era um homem adorador. Ana tinha um marido crente, vamos colocar desta maneira. Ela tinha um marido devoto. Ela tinha um adorador. Ele não era perfeito; era um polígamo. E isto era uma violação à lei de Deus e em qualquer momento que essa lei era violada sempre há conseqüências muito negativas e isto sempre produz dor e dor no coração. E eles tinham isto naquela família. Você pode acreditar. E Penina zombava nisto: que ela mesma tinha filhos e Ana não tinha nenhum. Mas apesar de tudo isto, Elcana era um homem que cria em Deus, um homem que adorava a Deus. Colocando tudo de modo simples: Ana tinha um marido crente. E este é o primeiro pré-requisito para criar filhos dedicados a Deus

Eu as incentivo, como eu sempre faço, jovens, quando vocês forem se casar, que casem com um crente [e, mais que isso, um crente] que [realmente] ama o Senhor Jesus Cristo, porque vocês necessitam dessa liderança espiritual. Ana tinha isto. E, apesar da dificuldade desse relacionamento polígamo, ela tinha um marido dedicado a Deus e que era um líder espiritual. Em contraste com Hofni e Finéias que, embora fossem sacerdotes e filhos do sumo sacerdote, eram tão carnais e vis e debochados como homens poderiam ser. E aqui está o primeiro aspecto então de um relacionamento certo entre um marido e uma esposa, eles adoram juntos. Adoram juntos. Básico...básico. A adoração deles [em total comunhão] é vital para projetar devoção a Deus a seus filhos. Eis porque, voltando para o Pentateuco, o primeiro conjunto de livros escritos, quando Deus estava estabelecendo as leis para Seu povo, no capítulo 7 de Deuteronômio, Ele disse: "Quando o Senhor teu Deus te houver introduzido na terra, à qual vais para a possuir, a terra de Canaã, e tiver lançado fora muitas nações de diante de ti..." e Ele nomeia as nações "... E o Senhor teu Deus as tiver dado diante de ti, para as ferir,totalmente as destruirás; não farás com elas aliança, nem terás piedade delas;" Escutem, então, isto, no versículo 3: "Nem te aparentarás com elas; não darás tuas filhas a seus filhos, e não tomarás suas filhas para teus filhos; Pois fariam desviar teus filhos de mim, para que servissem a outros deuses;" Fuja para o mais longe possível de casamentos mistos [moça crente verdadeira casada com rapaz que não é crente verdadeiro, ou vice-versa)

Próximo ao último capítulo de Josué, capítulo 23 e versículo 11, repetindo a mesma regra, "Portanto, guardai diligentemente as vossas almas, para amardes ao Senhor vosso Deus. Porque, se de algum modo vos desviardes, e vos apegardes ao restante destas nações que ainda ficou entre vós, e com elas vos aparentardes, e vós a elas entrardes, e elas a vós, sabei certamente que o Senhor vosso Deus não continuará a expulsar estas nações de diante de vós, mas elas vos serão por laço e rede, e açoite às vossas ilhargas, e espinhos aos vossos olhos; até que pereçais desta boa terra que vos deu o Senhor vosso Deus." Se você desobedecer e se casar [casamento misto], você vai perder tudo. Não faça isso. Esta mesma ordem é repetida mais tarde na história de Israel quando saíram do cativeiro para reconstruir [Jerusalém], a saber Esdras 9 versículos do 10 ao 15. Você vem ao Novo Testamento, em 1 Coríntios Paulo diz no capítulo 7: "Case somente no Senhor." Em 2 Coríntios 6:14, "Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?" E como podem os pais, Efésios 6:4, educar seus filhos na doutrina e admoestação do Senhor se um deles for um descrente? Agora, graças a Deus, por Sua graça Ele pode sobrepujar o fato de você ter um marido descrente. Pode ser que quando você se casou você não fosse ainda uma crente mas depois você foi atraída para Cristo e seu marido não. Mas pode ser também que você se casou com um descrente sendo você já uma crente, sabendo o que estava fazendo, e Deus, na Sua graça, pode sobrepujar todas aquelas circunstâncias. Todavia, Seu propósito é que uma crente dedicada se case com um crente dedicado, para o bem da próxima geração

Voltando então, eles tiveram uma adoração compartilhada. Tão vital! O modo como você adora comunica volumes de informações a seus filhos. Vocês são fiéis? Vocês são fiéis vindo e reunindo-se com o povo redimido de Deus semana a semana? Vocês são fiéis para fazer da Palavra de Deus a prioridade de suas vidas? Vocês são fiéis a ponto da oração ter um lugar elevado na experiência espiritual de cada um de vocês? Vocês são fiéis a ponto de viverem o que vocês afirmam que vocês acreditam? Em outras palavras, a atitude da devoção espiritual de vocês está comunicando um tipo de cristianismo a seus filhos, e eles terão tempos difíceis a superar, se de fato o tipo de cristianismo de vocês for menos do que deve ser

Em segundo lugar, eles não somente tiveram um relacionamento correto no casamento por causa de adorarem juntos, mas em segundo lugar, eles compartilhavam AMOR. Observe o versículo 4: "E sucedeu que no dia em que sacrificava, dava ele porções a Penina, sua mulher, e a todos os seus filhos, e a todas as suas filhas. Porém a Ana dava uma parte excelente; porque amava a Ana." Pare nesse ponto

Ele não amava Penina. Esta é a implicação. Penina estava lá para gerar os filhos que Ana não podia ter. Penina estava lá para criar um futuro para sua família, sua herança. Mas Ana era a que ele amava e ele não fez nenhuma tentativa de esconder isso. E quando eles foram oferecer seus sacrifícios, eu não sei se você sabe como aquilo funcionava, mas eles iam oferecer ofertas de paz e ofereceriam a oferta lá, sobre o altar. O sacerdote deveria tomar uma pequena parte, a maior parte dela voltaria à família e eles teriam uma festa. E quando passava a festa, ele dava uma porção dobrada a Ana porque ela era a que ele amava. No oriente, este era um gesto que se fazia a um convidado de honra. Ela era a que tinha seu coração. E não era apenas o amor de emoção, era o amor de bondade e o amor de cuidado e o amor de sacrifício, o amor de honra. Ele a amou. E este amor era sua segurança. Homens, se vocês ainda não sabem, devem saber que a segurança de uma mulher está em seu amor por ela, não em sua conta no banco, não em uma casa enorme e lindíssima, não em uma mobília nova, não em um plano de aposentadoria. Uma mulher encontra segurança em seu amor, e este amor necessita ser demonstrado tão freqüentemente que nunca há necessidade de uma pergunta sobre ele. As pessoas querem saber, freqüentemente, porque as mulheres tendem a desconfiar de seus maridos e querem saber se eles têm alguma outra atração ou se são enganadas com alguma outra pessoa, e a razão disto é porque a segurança de uma mulher está profundamente enraizada no amor de seu marido. E era assim com Elcana e Ana. E ela era segura de seu amor porque ele sempre procurava demonstrar seu amor por ela de muitas maneiras e publicamente, assim como ele lhe fazia honrarias e agrados em frente de todos. Eles compartilhavam o amor e assim ela estava segura deste amor. E ela necessitava disto, acredite-me, porquanto ele tinha uma outra esposa. Agora, você não gostaria disso nem um pouquinho, da mesma maneira ela não gostava, e ela tinha necessitada dessa segurança do amor

Não é interessante como Deus em Sua providência equilibra as coisas? Ana tinha o amor de Elcana, e Penina, que não tinha seu amor, teve os filhos que Deus permitiu que tivesse, para receber amor deles. Deus foi gracioso com todo eles. Eles compartilhavam amor. Vital...vital em ser uma mãe piedosa, é compartilhar o amor de seu marido de modo que haja, ali, uma segurança, haja, ali, um calor, ali, uma confiança, ali, uma quietude. Nesse amor há a ausência de ansiedade e de frustração, de modo que a mulher possa dar de si mesma aos seus filhos e não sempre sentir que ela tem que ser uma rainha da beleza para ganhar a afeição de seu marido. Uma vez que o marido com seu amor recobre, envolve a esposa e lhe faz sentir segura, então ela pode doar-se a seus filhos sem ter que sentir que ela deve estar sempre lutando a penosa batalha para atrair seu marido

Em terceiro lugar, eles compartilhavam uma outra coisa. Compartilhavam SENTIMENTOS. Compartilhavam adoração. O relacionamento deles com Deus era comum. Eles compartilhavam amor e compartilhavam sentimentos. Vejam o versículo 6: "E a sua rival"... que é Penina... "excessivamente a provocava, para a irritar; porque o Senhor lhe tinha cerrado a madre." No fim do versículo 5, diz também, já pela segunda vez, que o Senhor tinha cerrado sua madre. O que se está tentando dizer é que não era problema de Ana, o Senhor é quem fez isto. O Senhor cerrou sua madre. E nisto Penina a atormentava,como você sabe, neste tipo de coisa: "Muito mau! Você não pode ter nenhum filho, Ana." Ela estava, apenas, cravando a faca! E isto acontecia ano após o ano, todas às vezes que Ana ia até a casa do Senhor. Penina a provocava e assim Ana chorava e não comia. Então, ela ia à grande festa. Elcana é delicadamente amoroso dando a ela uma porção dobrada. Mas ela não comia nada por causa de Penina que, do outro lado da mesa, realmente, a irritava nisto dela não ter filhos

A resposta... Eu não gostaria de estar na posição de Elcana, tentando unir estas duas mulheres. Mas Elcana, seu marido, disse a ela: "Ana, por que você chora? E por que você não come? E por que seu coração está triste? Eu não sou melhor do que dez filhos?" Eles compartilharam sentimentos. Gente, ele leu os sentimentos e não pontificou, ele fez uma pergunta: "Por que você está fazendo isto, Ana? Eu não tenho sido melhor do que dez filhos para você?"

Que coração complacente! Algumas de vocês, mulheres, estão anotando isto porque vocês querem lembrar aos seus maridos sobre estas coisas. Eu compreendo. Nós [maridos] podemos ser muito insensíveis, muito insensíveis. E nós podemos ser muito rápidos para darmos respostas imediatas a tudo, sem ouvir o coração. Não Elcana. Abençoado seja ele! Ele conhecia o conflito e sabia que o conflito era mais intensificado a partir do lado de Penina. E ele sabia que isto era profundo e doloroso, um difícil, um difícil lugar para Ana estar. E, assim, ele era terno e complacente e cuidadoso, e ele sentia os sentimentos dela no coração dele próprio

Por que isto é ser uma mulher dedicada a Deus? Eu direi a vocês. O solo é perfeito para produzir uma mãe dedicada a Deus. Ela tem um relacionamento perfeito com o marido. Eles compartilham da ADORAÇÃO, a dimensão mais profunda da vida humana. Eles compartilham do AMOR, talvez a dimensão seguinte mais profunda da vida humana. Eles compartilham de SENTIMENTOS, talvez a dimensão seguinte mais profunda da vida humana. Eles têm um relacionamento profundo. Eles caminham juntos na presença de Deus, um com o outro acima dos problemas da vida que envolvem outras pessoa.

Continua na Parte III

Traduzido por Valdenira N.M. Silva
Fonte: Grace to You
 

0 comentários :

Postar um comentário

O seu comentário é muito bem vindo e será respondido o mais rápido possível. Porém, gostaria de solicitar que todos os comentários sejam respeitosos e sobre o tema citado na postagem. Além disso, não aceitaremos postagens anônimas. Desde já, agradeço!